terça-feira, 11 de junho de 2013

My Best Part is You (Final)

(Capítulo Anterior - Parte 1)

Gregory levou Laina até o carro que estava estacionado em frente o prédio e dali eles partiram em direção ao deserto. Depois de um tempo chegaram a uma parte da rodovia fora de Las Vegas, onde havia uma planície no alto de uma das montanhas que cercavam a cidade. Gregory parou o carro e eles desceram. De onde estavam, era possível ver quase toda a cidade. As luzes estavam desvanecendo com a chegada da alvorada. Gregory pegou um saco de dormir tamanho casal no porta-malas do carro e estendeu no chão para os dois se sentarem. Antes de subir sobre o saco de dormir, Laina resolveu tirar os tênis e ficar só com suas meias. Gregory, que também usava All Stars, só que azuis, fez o mesmo.
Ela se sentou e Gregory sentou-se por trás dela, a abraçado - essa é a cidade em que você trabalha. Olhando daqui parece calma não é?
- Muito. Nem parece que acontece o que acontece lá embaixo.
- Você está tremendo. Está com frio?
- Um pouquinho só.
Greg tirou seu casaco e o colocou em Laina ficando apenas com a camisa de malha de mangas compridas que usava.
- Trouxe café pra gente, você quer?
- Quero sim. Esqueci que não comi nada em casa.
A xícara de café ajudou Laina a se aquecer, mas ela ainda continuava tremendo, mesmo que pouco. Gregory, que agora estava sentado ao lado dela, podia perceber.
- Está bom? - ele perguntou.
- Amo seu café Greg.
Gregory sorriu, mas percebeu que não poderia continuar ignorando o que estava acontecendo.
- Laina, - ele disse pegando sua xícara e a dela e colocando-as no chão próximo a garrafa térmica. - Fica calma - ele pediu sorrindo.
A investigadora sorriu envergonhada e baixou o rosto tentando controlar a vontade de chorar. Gregory levantou o rosto dela delicadamente com as mãos para fazer com que ela olhasse para ele. Ela não conseguiu resistir e algumas lágrimas rolaram pelo seu rosto. Ele a abraçou. Ela tentou se desvencilhar, mas Gregory não deixou.
- Porque você faz isso?
- A última vez que eu gostei de alguém foi assim que terminou. No primeiro abraço. Ele realmente não queria ficar comigo, nem tentou.
- Mas eu quero ficar com você - Gregory não soltou a amiga. - Confie em mim.
- Eu não mereço você. Não vou conseguir te acompanhar. Você vai se cansar de mim.
- Não vou. Vamos aprender a andar juntos de agora em diante.
Laina por fim passou seus braços em torno de Gregory e o abraçou.
- Porque você ainda está tremendo?
Ela se aproximou de Gregory e sussurrou algo em seu ouvido.
- Ah - Gregory sorriu. - Verdade isso?
A investigadora, que agora estava muito corada de vergonha, acenou positivamente com a cabeça.
- Então eu não vou beijar você - disse Gregory suavemente. - Você faz isso quando se sentir pronta - Gregory fechou os olhos, pegou as mãos dela e colocou sobre o seu rosto. - Leve o tempo que precisar.
Laina começou achando aquilo esquisito. Passou as mãos pelos cabelos de Gregory, seus olhos, as maçãs do seu rosto e aos poucos foi ficando mais calma e parou de tremer. Continuou passeando com os dedos pela face dele até chegar aos lábios.
Longe de ser uma coisa simples, um beijo mexia com muitas lembranças e emoções dela. O fato de já terem se passado tantos anos de sua vida sem que ela nunca tivesse beijado alguém, coisa que ela achou que fosse acontecer pelo menos até seus quinze anos, era desconcertante em certas horas. Tomando um pouco de coragem, Laina encostou seu rosto ao de Gregory e começou a fazer carinho nele aproximando aos poucos de sua boca. Por algumas vezes ela fez como se fosse parar, mas voltava a acariciá-lo. Seu coração batia cada vez mais rápido, e ela sentia que a qualquer momento ele pularia para fora de seu peito. O coração de Gregory também batia forte, Laina podia senti-lo com seus braços que agora estavam em volta do pescoço do amigo. Devagar ela segurou o rosto de Gregory, apoiando suas mãos em torno do maxilar dele de deu um beijo sobre seus lábios. Nessa hora ele sorriu. Laina também, mas depois disso um frio passou por sua espinha e ela parou apoiando a cabeça sobre o ombro esquerdo dele.
- Eu só consigo até aqui Greggo - ela sussurrou, sorrindo envergonhada.
Ele então abriu os olhos só para segurar o rosto de Laina e beijá-la. Ele começou devagar, para que ela pudesse acompanhar e logo os dois já estavam em perfeita sincronia se beijando como qualquer casal apaixonado. Laina imaginou que aquele momento seria único na sua vida, mas não imaginou que fosse tão único.
Gregory também se sentia muito bem, de uma maneira diferente de todas as outras em que havia beijado uma mulher. Pensava se ela realmente era a mulher que ele estava procurando por tanto tempo, com quem passaria o resto da sua vida, e estava começando a achar que sim. Laina por sua vez perdia cada vez mais o medo que tinha de se apaixonar de novo e amar alguém. Ambos estavam se entregando de braços abertos um ao outro. Entregando sua vida para o outro cuidar e tendo a certeza que estavam entregando à pessoa certa.
Quando terminaram, ambos estavam sorrindo.
- Viu, nem foi tão difícil assim - Gregory comentou.
- Na verdade eu acho que a gente vai precisar treinar mais um pouco. Só pra ter certeza - ela pediu sorrindo.
Gregory a seguro pela cintura com um dos braços e passou o outro braço atrás de sua nuca quase a deitando de lado - já que você insiste. - Ele tinha um sorriso moleque no rosto.
Laina sorriu de volta e os dois se beijaram mais uma vez. Percebendo que eles estavam quase caindo, ela o abraçou na tentativa de se segurar melhor, mas os dois, mesmo sentados, acabaram caindo sobre o saco de dormir um do lado do outro.
Eles riam da situação.
- É, você estava certa quando disse que a gente precisa treinar um pouco.
Ela sorriu - olha, o sol está nascendo. - Laina se sentou novamente.
- Pra mim parece que está se pondo - ironizou Gregory que deitado olhava o sol de cabeça pra baixo.
Laina segurou as mãos dele e o puxou para que ele se sentasse. Gregory sentou-se ao lado da namorada e a abraçou.
- E assim começa a nossa história - ele disse.


*** FIM ***

9 comentários:

  1. Quanta doçura no ar. Bom para o dia. Gostei rs.

    Um beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha.. de vez em quando consigo escrever algo assim.
      Mas só de vez em quando... rsrsrs...
      Fico feliz que você tenha gostado!

      Obrigado por ter comentado!
      Beijussss;

      Excluir
  2. Oi, tudo bom?
    Texto maravilhoso, mesmo.
    Não pare de escrever que você leva muito jeito!
    Passando pra te avisar que meu blog, em parceria com a autora FML Pepper e outros 3 blogs, está sorteando um KINDLE!
    Vai perder?
    Beijos
    Endless Poem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Tudo bem! E você?
      Muito obrigada mesmo! Fico muito feliz em ouvir isso.
      As vezes eu penso em parar... mas ouço comentários assim e continuo em frente. As vezes essa dúvida bate porque como não recebo muitos comentários, nem elogiando, nem criticando, entendo que ninguém está lendo... e isso desanima...

      Oba! Vou lá conferir!!
      Obrigada!

      Beijusss;

      Excluir
  3. Eu não conhecia o blog,mas agora que o encontrei se tornou uns dos meus favoritos.Eu amei o seu texto,continue assim.
    Bjs!
    http://pocketlibro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! :D
      Fico muito feliz que você tenha gostado!

      Beijusss;

      Excluir
  4. Oi Helaina, tudo bom?

    Gostei da cena. Me parece uma cena de um romance bem maior... você pensou apenas nela, ou ela faz parte de uma história mais ampla? Li o que você escreveu sobre o conto esconde-esconde, e vou dar uma olhada =)

    Você escreve muito bem! Seu estilo é bem ameno e sincero. Dá para dar umas lapidadas, é claro. Em muitas partes você poderia "mostrar" mais as coisas. Uma cena onde senti bastante falta disso foi quando Sybila abriu a porta para Gregory, e pediu para ele entrar.

    "
    - Entra logo! - Sybila fechou a porta atrás de si.
    - Lindo roupão! - Gregory comentou sorrindo.
    "

    Senti falta de mais descrição neste ponto. Para mim, ela tinha pedido para ele entrar e então fechou a porta antes dele entrar! Só na fala de Gregory que percebi que ele já tinha entrado. Você poderia narrar mais, escrevendo algo do tipo:

    "
    - Entra logo! - Ela falou, dando um passo para o lado, abrindo espaço para que ele passasse, como um convite. Assim que Gregory entrou, ela fechou a porta atrás de si.
    "

    A parte que Gregory falou do roupão dela também poderia ter mais descrição:

    "
    Gregory olhou para Sybila e não pôde deixar de notar o roupão que ela trajava. Era vermelho, muito bem cuidado e deixava a mostra suas penas a partir do joelho. Ela provavelmente havia vestido a primeira coisa que viu, assustada por ter alguém batendo em sua porta tão cedo. Não conseguiu deixar de sorrir.

    - Lindo roupão! - Ele falou.
    "

    Claro que você escreveria com suas palavras e seu estilo. Sinceramente, não sou escritor tão romântico como você, rs. Na verdade não sou profissional, mas sempre tento ajudar os amigos escritores. Nós precisamos de críticas para melhorar , não é? =)

    No final, senti falta de uma continuação. Achei a leitura fácil e tranquila, e fiquei pensando como seria a continuação. Vai ter? =D

    Abraços!

    PS: Vou colocar seu blog lá no meu como recomendação, mas não espere um "Boom" nas visitas, por que o meu ainda está começando, hahahah! Só estou tentando achar uma ferramenta decente para colocar recomendações de blogs lá.

    ResponderExcluir
  5. Ah! outra coisa que senti falta: o espaçamento entre os parágrafos! Ao menos, um espaçamento entre as falas e os parágrafos. Depois experimente fazer uma quebra de linha entre os diálogos e os parágrafos, e veja se ficou legal =)

    Aliás, use algum livro de algum autor que você goste, e veja como ele faz isso. Acho que varia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Tudo bem! E você?

      Bom, realmente ela é uma cena de uma estória maior. Não que ela tenha sido tirada de algum lugar e colocada sozinha aqui. Mas tenho mais contos antes e depois dela que a completam.

      Concordo plenamente com você! As críticas só servem para nos fazer crescer. Acho que eu posso melhorar essa parte sim. Uma coisa que eu tenho que vencer nas minhas estórias é a vontade de publicar logo sabe. E esse conto tem mais um defeito. Minha revisora (que é minha mãe, mesmo sem ser profissional da área ela é uma leitora e bem crítica), ainda não leu. Certamente ela teria me dado uns toques como esses.
      Obrigada pelas sugestões!

      Bom, sobre a continuação, imagino que tenha sim (ainda não escrevi), mas quando crio alguns personagens como Laina e Greg, Anna e Jared, Victória e Benjamin,... (todos com contos aqui no blog) fico amiga deles e estou sempre disposta a contar o que está acontecendo na vida deles. Sempre que eu escrevo "FIM" na estória deles fico com vontade de colocar um ponto de interrogação. Acho que nunca será um "FIM" de verdade.

      Ah, verdade. Esse ficou só com recuo. Eu costumo colocar o espaçamento. Não sei se faço direito, mas coloco principalmente quando a cena muda ou mais pra dar uma quebrada no texto mesmo. Esse como é muito pequeno acabou ficando sem os espaços.
      Mais uma vez obrigada pela dica! ;)

      Abraços;
      P.S.: Obrigado! Todo apoio é sempre bem vindo!!

      Excluir

Agradeço muito a sua visita!
Deixe um comentário!

- Atenção:
Ao comentar você concorda com as políticas de comentários do blog. Caso tenha dúvidas sobre como comentar, ou queira saber quais são essa políticas, acesse: Políticas de Comentários.

Obs: Os comentários dos leitores não refletem a opinião do blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...