terça-feira, 11 de junho de 2013

My Best Part is You (Final)

(Capítulo Anterior - Parte 1)

Gregory levou Laina até o carro que estava estacionado em frente o prédio e dali eles partiram em direção ao deserto. Depois de um tempo chegaram a uma parte da rodovia fora de Las Vegas, onde havia uma planície no alto de uma das montanhas que cercavam a cidade. Gregory parou o carro e eles desceram. De onde estavam, era possível ver quase toda a cidade. As luzes estavam desvanecendo com a chegada da alvorada. Gregory pegou um saco de dormir tamanho casal no porta-malas do carro e estendeu no chão para os dois se sentarem. Antes de subir sobre o saco de dormir, Laina resolveu tirar os tênis e ficar só com suas meias. Gregory, que também usava All Stars, só que azuis, fez o mesmo.
Ela se sentou e Gregory sentou-se por trás dela, a abraçado - essa é a cidade em que você trabalha. Olhando daqui parece calma não é?
- Muito. Nem parece que acontece o que acontece lá embaixo.
- Você está tremendo. Está com frio?
- Um pouquinho só.
Greg tirou seu casaco e o colocou em Laina ficando apenas com a camisa de malha de mangas compridas que usava.
- Trouxe café pra gente, você quer?
- Quero sim. Esqueci que não comi nada em casa.
A xícara de café ajudou Laina a se aquecer, mas ela ainda continuava tremendo, mesmo que pouco. Gregory, que agora estava sentado ao lado dela, podia perceber.
- Está bom? - ele perguntou.
- Amo seu café Greg.
Gregory sorriu, mas percebeu que não poderia continuar ignorando o que estava acontecendo.
- Laina, - ele disse pegando sua xícara e a dela e colocando-as no chão próximo a garrafa térmica. - Fica calma - ele pediu sorrindo.
A investigadora sorriu envergonhada e baixou o rosto tentando controlar a vontade de chorar. Gregory levantou o rosto dela delicadamente com as mãos para fazer com que ela olhasse para ele. Ela não conseguiu resistir e algumas lágrimas rolaram pelo seu rosto. Ele a abraçou. Ela tentou se desvencilhar, mas Gregory não deixou.
- Porque você faz isso?
- A última vez que eu gostei de alguém foi assim que terminou. No primeiro abraço. Ele realmente não queria ficar comigo, nem tentou.
- Mas eu quero ficar com você - Gregory não soltou a amiga. - Confie em mim.
- Eu não mereço você. Não vou conseguir te acompanhar. Você vai se cansar de mim.
- Não vou. Vamos aprender a andar juntos de agora em diante.
Laina por fim passou seus braços em torno de Gregory e o abraçou.
- Porque você ainda está tremendo?
Ela se aproximou de Gregory e sussurrou algo em seu ouvido.
- Ah - Gregory sorriu. - Verdade isso?
A investigadora, que agora estava muito corada de vergonha, acenou positivamente com a cabeça.
- Então eu não vou beijar você - disse Gregory suavemente. - Você faz isso quando se sentir pronta - Gregory fechou os olhos, pegou as mãos dela e colocou sobre o seu rosto. - Leve o tempo que precisar.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

My Best Part is You

Esse pequeno conto foi escrito logo após Miss You (ainda não publicado - prometo fazer isso em breve) e tive que modificar o primeiro parágrafo para evitar spoilers. Assim que publicar Miss You, colocarei ao final um link para que vocês possam ler da forma original em que foi escrito. Eu quis publicar esse conto antes do outro porque no mês de Junho só postarei contos sobre relacionamentos (românticos ou nem tanto). Espero que gostem!

O amor está no ar!

Os personagens desse conto já apareceram antes aqui no blog no conto Esconde-Esconde. São investigadores da polícia que resolvem os mais intrigantes casos. Hoje todos trabalham em Las Vegas, mas a última integrante do grupo, Laina Castro, começou a trabalhar com eles depois de um caso que o grupo resolveu no Brasil. Era onde ela trabalhava até então na polícia civil de Minas Gerais. Para conhecer essa estória acesse: Esconde-Esconde.

*Sim, há similaridades entre os contos e a série CSI Las Vegas, mas NÃO se trata de uma fanfic (o que envolveria diretos autorais). Durante muitas temporadas não perdi nenhum episódio (até parar de passar na TV aberta) e gostava muito dos casos e dos personagens. Daí até criar uma estória com investigadores foi um pulo. A cidade de Las Vegas e o nome Gregory “Greg” ficou como homenagem à série tão maravilhosa! (bateu saudade agora).

Espero que gostem do conto!

My Best Part is You

“Eu me perdi em você, e agora somos um só” (Laina)

Depois de quinze dias no hospital, devido aos ferimentos que sofreu durante seu sequestro, Laina se recuperava na casa de sua amiga e investigadora, Sybila Bradley, com quem trabalhava e dividia o apartamento desde que viera morar em Las Vegas. Enquanto ela esteve no hospital, Gregory, também investigador, ficou ao seu lado todo o tempo que pode. Laina havia resolvido dizer sim ao seu pedido de namoro, e os dois estavam muito felizes, apesar das circunstâncias. No entanto, o primeiro beijo do casal ainda não havia acontecido, eles resolveram deixar isso para um momento e lugar mais apropriado do que um hospital.

- Dia Syb - disse Gregory à amiga assim que ela abriu a porta do apartamento vestindo um roupão cor de rosa. Os cabelos negros de Sybila estavam presos em um rabo de cavalo que caía pelas costas.
- Dia Greg? - ela perguntou olhando para o relógio que estava sobre a mesa atrás dela. - São quatro da madrugada!
- Eu sei. É que eu queria falar com a Laina. Ela está não é? - com o rosto de menino e seus cabelos castanhos com luzes em algumas mechas, era quase impossível adivinhar a idade de Gregory.
- Vamos fingir que você não fez essa pergunta de resposta óbvia. A propósito, ela está dormindo. Você veio direto do trabalho pra cá?
- Vim sim - o investigador abriu um sorriso largo.
- Espero que não tenha deixado nenhum trabalho pela metade - Sybila sorriu.
- Terminei mais cedo hoje! Mas vai me deixar entrar ou não? - ele perguntou.
- Entra logo - Sybila fechou a porta atrás de si.
- Lindo roupão! - Gregory comentou sorrindo.
Sybila olhou para si mesma e só então percebeu como estava vestida.
- Greg eu to com sono. Afinal, qual seu plano?
- Eu quero levar a Laina pra ver o sol nascendo do alto de uma montanha. Você deixa? - Greg fez cara de menino que pede autorização para a mãe.
Sybila sorriu - vai lá. Se ela quiser ir, quem sou eu para impedir - ela respondeu apontando para a porta do seu quarto no fim do corredor. - Eu vou fazer um café. Obrigada por me fazer perder o sono!
- De nada - ele respondeu já sussurrando, pois estava perto da porta do quarto.
Gregory andou quase que na ponta dos pés para que Laina não acordasse antes da hora, ou se assustasse com barulhos estranhos pela casa de madrugada. Depois do sequestro ela estava um pouco sensível a isso. Ele empurrou a porta devagar e logo a sua frente estava a cama vazia de Sybila. A esquerda dela estava a cama de Laina, onde ela ainda dormia. Gregory passou alguns momentos a observando enquanto dormia. Depois, foi se aproximando da cama devagar até se ajoelhar ao lado dela.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...