domingo, 27 de fevereiro de 2011

Loucuras de um carnaval qualquer...

Alice e Juliana eram amigas de longa data que costumavam passar o Carnaval em uma pequena cidade do interior de Minas Gerais. Todo ano era sempre a mesma coisa. Uma banda no palco animava as pessoas na rua que dançavam e se divertiam até o sol nascer. Aquele ano, entretanto tinha tudo para ser como os outros, mas não foi. Depois de uma noite inesquecível, assim que chegou a casa, Alice correu para o quarto, pegou seu diário de começou a escrever.

08/03/2000

Eu não costumo escrever em diário, mas como a memória é fraca... Ontem foi o ultimo dia de carnaval, e o ultimo dia de Banda Pakto. Desde sábado, dia 04/03, eu e a Juliana nos apaixonamos pelo guitarrista da banda ( ele era extremamente lindo com longos cabelos negros encaracolados caindo até sua cintura). Nós passamos os dias de carnaval embaixo do palco tentando chamar a atenção dele. Ficamos admirando sua beleza e gritando o seu nome e chamando ele de lindo de sábado até segunda-feira, até que no último dia de carnaval aconteceu a coisa mais maravilhosa que poderia acontecer.

Meme - Vale a pena ler de novo!

Oi pessoas!
Fiquei muito feliz hoje ao passar aqui pelo blog e ver que recebi meu primeiro Meme!!
Obrigada à

  1. Arquivo X - Episode Guide / Pessoa EsdrúxulaChapeleta Roxa / Delírios Nonsense / Vida de Escritor / Angel Books / Garota Eclética / Et Coetra / OkayCult / Open Mind /
  2. Um Olhar sobre o Mundo

domingo, 13 de fevereiro de 2011

"Tudo por um sorvete"

Eu não comecei a escrever sozinha. Claro que a criatividade para inventar estórias eu sempre tive, mas só quando eu conheci minha amiga Marlene é que eu me dei conta que o que eu fazia era bom. Nós não conseguimos nos lembrar como nossa amizade começou, só sabemos que foi há uns 11 (ou serão 12) anos... desde então percebemos que aquela parceria tinha tudo para dar certo.

Ainda me lembro de quando tivemos a ideia para nossa primeira estória! Foi dentro da igreja (que feio... não estávamos prestando a atenção à missa...) que começamos a viajar nas primeiras linhas de estórias sobre investigação e fenômenos paranormais. Depois não paramos mais e hoje sonhamos em ver nosso trabalho publicado (mas temos que terminar de escrevê-lo primeiro :P)

No entanto hoje não vim aqui para publicar nada meu... esse post eu dedico totalmente à Marlene, sem a qual eu ainda estaria escondendo as coisas que eu escrevo por achar que ninguém gostaria de ler. Pois ela leu, gostou e quis escrever comigo!

Recebi (por escrito) dela a autorização de publicar no Universo Invisível uma estória que ela escreveu há muito tempo na escola em uma prova de redação. Achei a estória muito bem contada, com muita criatividade e com um desfecho surpreendente! (Adoro esse tipo de estória).

Conheçam então o talento de minha parceira de crime!!
___________________________________________________

Tudo por um sorvete
Autora: Marlene T. Dias  

Solange estava em seu quarto quando sua mãe lhe chamou:

- Solange! Venha aqui na cozinha que eu quero que você me faça um favor!

- Ai que droga! - reclamou a garota saindo contrariada de seu quarto, pois já sabia do que se tratava.

- Eu quero que você me faça um favor. Vá ao açougue e compre 1 quilo de carne para o jantar. 
E olha, é pra comprar só carne viu?!

Solange saiu em direção ao açougue, mas no caminho viu seus amigos André, Tiago e Lúcia jogando vôlei e ficou ali jogando com eles. E assim ficaram por mais meia hora até que Solange teve uma ideia.

- Vamos tomar sorvete, que hoje eu tenho dinheiro! - ela convidou. E foram os quatro à sorveteria do “seu” Henrique.

Já era noite e só tinha sobrado Solange sentada à beira da calçada chupando o ultimo sorvete quando ela lembrou que tinha de ir ao açougue, mas como se ela havia gasto todo o dinheiro com sorvete. “Você é uma irresponsável, será que nunca posso confiar em você?” Solange sabia que essas seriam as palavras da mãe acompanhadas de uma surra de cinta.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...